Para parcerias e criticas, contate-nos jaqueeluana@gmail.com

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Você pode não ser o primeiro homem dela, o último homem dela ou o único homem dela. Ela amou antes, pode ser que ela ame de novo. Mas se ela te ama agora, o que mais importa? Ela não é perfeita - você também não é, e vocês dois podem nunca ser perfeitos juntos, mas se ela te faz rir, te faz pensar duas vezes, e admite ser humana e cometer erros, segure-se a ela e dê a ela o máximo que você puder. Ela pode não estar pensando em você a cada segundo do dia, mas ela te dará uma parte dela que ela sabe que você pode quebrar - o coração dela. Então não machuque ela, não mude ela, não analise e não espere mais do que ela pode dar. Sorria quando ela te fizer feliz, diga a ela quando ela te deixar com raiva, e sinta a falta dela quando ela não estiver por perto. 


Bob Marley


Jaqueline Furlin

domingo, 20 de novembro de 2011

O Caminho da Vida





           O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.
           A cobiça envenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódios... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.
           Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.
           Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.
           Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.



(Charles Chaplin)


Jaqueline Furlin


          Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem. Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela. Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto caçador e fazem qualquer homem sofrer. Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável. Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples. Um dia percebemos que o comum não nos atrai . Um dia saberemos que ser classificado como bonzinho não é bom. Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você. Um dia saberemos a o verdadeiro significado da frase: Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso. Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais. Enfim .. um dia descobrimos que apesar de viver - mos quase um século, esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer - mos o que tem de ser dito. O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras. Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação. (Mário Quintana)


Jaqueline Furlin

quarta-feira, 16 de novembro de 2011


           Desfez-se de toda a sua doçura e inocência. Abriu a janela, e a luz entrou no quarto a iluminar os restos do que ele já fora, a iluminar o invisível. Saiu deixando um corpo caído em sono profundo entre lençóis, e feras enlouquecidas palpitando em algum outro coração distante. A cada passo que dava sentia-se mais sujo, mais homem. E nada que faria dali pra frente mudaria o fato do ocorrido entre as feras naquelas horas escuras. Escuridão da noite escurecendo a alma. Feriu os olhos de sol, e transformou-se em tempestade. Sua ira se desfez em raios e relâmpagos tentando amenizar o descaso do que ele deixara para trás, mas que continuava a esperá-lo e o encontraria lá na frente, mesmo sem saber. Não, as pessoas nao entenderão a complexidade do ocorrido. Caso feito, tempo perdido, passos sujos, e o amarelo esquecido. E eu, eterna tradutora, jamais saberei se o foi esquecido por dias, semanas, ou meses… Mas e se jamais fora esquecido? O que entender do que ficou marcado ferindo a tradução dos atos impensados? 






Jaqueline Furlin



Jaqueline Furlin


terça-feira, 15 de novembro de 2011

O essencial




          E que toda a hipocrisia caia por terra; que toda mentira seja visível aos olhos; que toda lágrima caída seque para dar lugar à um sorriso; que todo Amor não seja apenas palavras que saem da boca, mas que seja sentimento que venha do coração.


Jaqueline Furlin


          Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança ou proximidade. E começa aprender que beijos não são contratos, tampouco promessas de amor eterno. Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos radiantes, com a graça de um adulto – e não com a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, pois o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, ao passo que o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.




Jaqueline Furlin

No dia do reencontro...


E no dia que eu te reencontrar quero segurar as suas mãos, olhas no fundo dos seus olhos e dizer: como senti sua falta nesses últimos tempos! Quero lhe dar um abraço, sentir o seu cheiro e lembrar de tudo o que me ensinou. Vou te segurar para nunca mais ir embora! Quero te contar tudo o que fiz, dos planos que tenho, vou lhe contar das paixões e pedir conselhos, afinal, os melhores conselhos vem de quem mais amamos. No dia em que você vim me ver, vou preparar um banquete e te recepcionarei com muita alegria e bom humor. No dia em que você vier, quero ter a certeza que não passou de só mais um sonho. No dia em que você vier, não vou lembrar de nenhum ressentimento e nenhuma mágoa de ti. Quero aproveitar sua vinda, mesmo que num sonho, e pedir-lhe para vir me ver mais vezes, e assim, em contrapartida, o que eu chamava de saudade, não irá mais existir...




Luana A. Del' Sent

Faz de conta



         Não respondo teus e-mails, e quando respondo sou ríspido, distante, mantenho-me alheio: Faz de conta que eu te odeio.
          Te encho de palavras carinhosas, não economizo elogios, me surpreendo de tanto afeto que consigo inventar, sou uma atriz, sou do ramo: Faz de conta que eu te amo.
          Estou sempre olhando pro relógio, sempre enaltecendo os planos que eu tinha e que os outros boicotaram, sempre reclamando que os outros fazem tudo errado: Faz de conta que eu dou conta do recado.
          Debocho de festas e de roupas glamurosas, não entendo como é que alguém consegue dormir tarde todas as noites, convidados permanentes para baladas na área vip do inferno: Faz de conta que eu não quero.
          Choro ao assistir o telejornal, lamento a dor dos outros e passo noites em claro tentando entender corrupções, descasos, tudo o que demonstra o quanto foi desperdiçado meu voto: Faz de conta que eu me importo.
          Digo que perdôo, ofereço cafezinho, lembro dos bons momentos, digo que os ruins ficaram no passado, que já não lembro de nada, pessoas maduras sabem que toda mágoa é peso morto: Faz de conta que eu não sofro.
          Cito Aristóteles e Platão, aplaudo ferros retorcidos em galerias de arte, leio poesia concreta, compro telas abstratas, fico fascinada com um arranjo techno para uma música clássica e assisto sem legenda o mais recente filme romeno: Faz de conta que eu entendo.
          Tenho todos os ingredientes para um sanduíche inesquecível, a porta da geladeira está lotada de imãs de tele-entrega, mantenho um bar razoavelmente abastecido, um pouco de sal e pimenta na despensa e o fogão tem oito anos mas parece zerinho: Faz de conta que eu cozinho.
          Bem-vindo à Disney, o mundo da fantasia, qual é o seu papel? Você pode ser um fantasma que atravessa paredes, ser anão ou ser gigante, um menino prodígio que decorou bem o texto, a criança ingênua que confiou na bruxa, uma sex symbol a espera do seu Cowboy: Faz de conta que não dói.


- Martha Medeiros!




Jaqueline Furlin 

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Dedico

               
  Você está a quilômetros de distância, mas ainda assim, te sinto aqui tão perto de mim. Nunca pude abraçar, mais as suas palavras me fazem tão bem quanto um abraço. Nunca ganhei um sorriso seu, mas os sorrisos que dou aqui, só de ler o que você escreve, valem à pena. O que eu sei sobre você? Pouco, mas eu posso falar com todas as letras que você é uma pessoa incrível, maravilhosa…  perfeita o suficiente pra fazer as pessoas te amarem, sem ao menos te conhecerem pessoalmente. Eu achava que era impossível criar laços tão grandes de amizade com alguém que, sei lá, eu nunca pude nem ver, nem ao menos dar um abraço, um oi… E hoje eu me acho idiota, por achar que fosse impossível gostar tanto de ti. Eu aprendi com você que o que conta realmente é o que tem por dentro, são os sentimentos, e não aparência, afinal, aqui você escreve com o coração, e em cada palavra sua, vejo pedaços de mim. 

'irmãozinho'


Jaqueline Furlin




“Falar pouco é uma virtude, aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoismo. Para qualquer escolha se segue alguma consequência, vontades efêmeras não valem a pena, quem faz uma vez, não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze. Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível. Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder pra aprender a dar valor, e os amigos ainda se contam nos dedos. Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar pro resto da vida, e o que nunca deveria ter entrado nela. Não tem como esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos.”

(Charles Chaplin.)

Jaqueline Furlin 


Jaqueline Furlin



          Provavelmente todo mundo já deve ter passado, ou vai passar por um momento assim. Começar a pensar nos amigos, na vida com eles…
Começar a lembrar dos bons momentos, nas conversas jogadas fora, nas palhaçadas… Nas discuções, nas brigas, em qualquer desentendimento… Nas tristezas compartilhadas, nas lágrimas derramadas. No apoio e força que a amizade dessas pessoas nos passa. Nas decepções, nos amigos que se foram, dos que ainda estão lá, mas que não são os mesmos… Nos novos amigos, nos melhores amigos. Em tudo… Chega a dar uma nostalgia, que acalma por saber que temos pessoas que nos amam, que se importam conosco. E que nos dão forças pra seguir em frente, por saber que sempre teremos o seu apoio. Mas que também trás uma tristeza, uma angústia, por saber que… Com o tempo, vamos nos separando… Cada um vai seguindo o seu caminho, alguns entram pra faculdade, outros se mudam… Bem, distância física não separa ninguém, e eu tenho esperança de que isso não vai me separar dos meus amigos. De verdade. Mesmo assim, as coisas vão ficando pra trás, os bons momentos vão virando memórias… E, a gente começa a pedir calma ao tempo, que ele seja mais paciente, e que nos deixe aproveitar ao máximo os momentos com nossos amigos. Que ele nos deixe aproveitar o momento com pessoas que são mais que apenas amigos, que são anjos, colocados em nossas vidas pra nos fazer seguir em frente.
          Eu não tenho nenhum tipo de vergonha de dizer que meus amigos são tudo pra mim, que eu não sei o que seria de mim sem eles… E que, as lembranças, eu vou levar pra sempre, até o último dia da minha vida. As memórias boas, as ruins também, os sorrisos, as lágrimas… Até mesmo um simples abraço. 





Jaqueline Furlin

domingo, 13 de novembro de 2011